Relatório de Atividades 2016 Plano de Ação 2017

“Nada sobre nós, sem nós – Da integração à inclusão”

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2016
PLANO DE AÇÃO DE 2017

APRESENTAÇÃO
Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, 2010, existem aproximadamente 45 milhões de pessoas com deficiência no Brasil, destes, 574 mil estão presentes no Distrito Federal (22,3% da população). A promoção dos direitos da pessoa com deficiência visual, fundamenta-se na perspectiva dos direitos humanos, que representa um desafio, entretanto, é à inclusão é um compromisso social, cultural, econômico, estatal e principalmente, do próprio movimento das pessoas com deficiência, demonstrando, quando oportuno o seu protagonismo e autonomia.
Nesta perspectiva a Associação Brasiliense de Deficientes Visuais - ABDV, organização sem fins lucrativos e de caráter social, fundada em 12 de outubro de 1983, com o objetivo de fortalecer o segmento que representa, através da promoção social e defesa de direitos. A ABDV possui cerca de mil associados, sendo a maioria dessas pessoas com deficiência visual de baixa renda (usuários do Benefício de Prestação Continuada - BPC) e moradores da periferia do Distrito Federal.
Visando oferecer atividades culturais e laborais a seus associados, a entidade já realizou cursos na área da massoterapia, informática, confecção de artesanato com material reciclável. Também já realizou diversas oficinas focadas em arte, educação através de técnica adaptada de modelagem em argila e papel machê.
Dentre osprojetos realizados pela ABDV, destacam-se:
Brasília Tátil – A Capital - Patrimônio em um Toque de Arte
Em 2016, 1º semestre, a ABDV realizou a 2ª edição do Programa Educativo Brasília Tátil, um projeto que abrange educação patrimonial, arte educação e educação para diversidade, com atendimento a mais de 350 crianças da rede de ensino público do DF, 75 pessoas com deficiência visual e 40 professores de turmas inclusivas da rede pública de Ensino do Distrito Federal, com roteiro/visitação em pontos turístico-culturais da capital e oficinas de modelagem em argila
Com base nas experiências anteriores, em 2016a Entidade buscou a realização de outros projetos, também visando à autonomia e o protagonismo das pessoas com deficiência visual, focados na capacitação profissional, no desenvolvimento artístico, na inclusão digital, na autogestão, no cooperativismo e na economia solidária, de modo a promover a capacitação de mão-de-obra e a geração de renda, mas também o fortalecimento deste segmento como grupo social.

PRINCIPAIS PROJETOS EM 2016
Projeto Cultura Solidária
Tendo como principal objetivo, à formação de massoterapeutas com deficiência visual, o Projeto Cultura Solidária, financiado pelo Instituto Cooperforte, previsto para dez meses, teve seu início em junho/2014 com termino previsto para maio/2015, porém se estendeu até junho, como consequência de paralizações no transporte público do DF e da realização dos jogos da Copa do Mundo. Os resultados já eram esperados, visto que no ano 2016 iniciou-se a inclusão e busca de mercado de trabalho das pessoas com deficiência visual que fizeram o curso de massoterapia. Não obstante, fechou parcerias com SICOOB, com a perspectiva de trabalho em rede, bem como em eventos culturais e Conferências nacional e distrital, como também, algumas agências do Banco do Brasil S/A, do Distrito Federal.
O projeto fez parte da proposta PROGRAMA EDUCATIVO BRASÍLIA TÁTIL, e teve como propósito não só a qualificação profissional e cultural dos participantes, mas também o fomento ao trabalho autônomo e cooperativista, e contou com apoio da ECOSOL Base Brasília (Cooperativa Central de Apoio ao Sistema ECOSOL no Distrito Federal), e da Faculdade de Artes Dulcina de Morais.
Neste Projeto os alunos tiveram uma formação diferenciada onde a ABDV buscou garantir, além da profissionalização, sua autonomia e protagonismo. Para tanto, aulas de informática, noções de gestão, cooperativismo e economia também integraram as disciplinas do curso. Além disso, a metodologia e os materiais didáticos foram adequados às necessidades do público com deficiência visual. A ABDV além de promover a formação dos participantes, vem oportunizando o trabalho junto a empresas do DF, tendo como objetivo contribuir para gerar e/ou complementar a renda dos deficientes visuais.
O projeto teve o acompanhamento de uma psicóloga para realizar as atividades de entrevistas para acolhimento, avaliação econômico-social e de aptidão dos inscritos. Foram atendidos 40 pessoas com deficiência visual (associados da ABDV), e familiares envolvidos como acompanhantes nas atividades de apoio e rotina.
O objetivo principal é promover a inclusão produtiva e contribuir para a garantia dos direitos da pessoa com deficiência visual, conforme prevê a Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência, através da capacitação profissional e cultural, e da preparação para a comercialização de produtos e serviços produzidos por esse público.
Além destes projetos, a ABDV participa das mais variadas discussões que envolva a temática deficiência, por meio de acentos em Conselhos de Direitos e de Políticas Públicas para as pessoas com deficiência. Por exemplo: Conselho de Saúde do Distrito Federal; Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Distrito Federal – CODDEDE-DF; Conselho de Assistência Social e Conselho de Direitos Humanos. A representação se dá por meio de associados/as, indicados/as pelo Presidente desta Instituição.
A ABDV é integrante da Organização Nacional de Cegos do Brasil – ONCB, que é uma Entidade de assessoramento, na luta da pessoa cega e com baixa visão no Brasil.
Promove discussões de políticas públicas por meio de grupos do Whatsapp.

1.2 – Finalidade Institucional

A ABDV é uma Instituição que tem por filosofia promover a cidadania e defender os direitos das pessoas com deficiência visual. Combatendo o preconceito da ineficiência ou incapacidade das pessoas cegas. Por isso a ABDV é dirigida pelos próprios deficientes visuais, como forma de reafirmar seus papéis como protagonistas.

Tendo como objetivos estatutários o apoio às pessoas desse segmento em sua trajetória educacional, profissional e cultural, conforme preconiza o art. 1º do seu Estatuto.

“A Associação Brasiliense de Deficientes Visuais, fundada em 12 de outubro de 1983, na cidade de Brasília-DF, (...) terá os seguintes objetivos:”

“I- Congregar os deficientes visuais e pessoas interessadas em sua causa para que possam estudar, em conjunto, seus problemas, trocar sugestões, viabilizando soluções;
II- Prestar serviços gratuitos, no que couber, aos associados, deficientes visuais, usuários da assistência social, de forma planejada, diária sistemática, não se restringindo apenas a distribuição de bens e benefícios e a encaminhamentos;
III- Defender os deficientes visuais, intervindo junto aos organismos governamentais e não governamentais apresentando medidas de ordem geral que venham a beneficiá-los.
IV- Proporcionar aos deficientes visuais melhores condições de vida, dentro daspossibilidades da Associação, atuando, inclusive no sentido de ajudar ao deficientevisual associado no acesso ao ensino profissionalizante, obtenção de emprego,aquisição de equipamento para instrução escolar;
V- Promover encontros, palestras, conferências e seminários relacionados com aeducação, habitação, reabilitação e integração social dos deficientes visuais e outrasiniciativas que julgar necessárias e oportunas;
VI- Proporcionar desenvolvimento artístico e cultural do deficiente visual associado;
VI- Incentivar a prática de esporte e lazer para o deficiente visual;
VII- Aplicar integralmente suas rendas, recursos e eventual resultado operacional namanutenção e desenvolvimento dos seus objetivos institucionais no território nacional.”

1.3 – Público Alvo

A instituição agrega pouco mais de 1.000 associados/as, entre pessoas com deficiência visual (cerca de 80% dos quadros), seus familiares e pessoas interessadas em nossa causa, que se associam como colaboradores.

1.4 - Local de Desenvolvimento das Atividades:

Sede da ABDV, SGAS Q. 903, Lote 78, Conjunto C, Parte A, Brasília DF; Sala de Apoio da Rodoviária, Plataforma Superior da Rodoviária do Plano Piloto, Loja 07.
Box, 168, Da Ala “E” – Feira da Torre de TV-DF.

– OBJETIVOS ALCANÇADOS
2.1 - Geral:

Prestação de serviços focados na Proteção Social Básica; a defesa dos direitos e a colaboração com o Poder Público, no encaminhamento de seus associados à serviços promovidos pelo Estado, na elaboração e execução de Políticas Públicas, e na fiscalização do cumprimento da Legislação pertinente. Promovendo também, a formação profissional e geração de renda para o segmento que representa.

2.2 - Específicos:
 Criação de espaços de referência para o convívio grupal, comunitário e social e o desenvolvimento de relações de afetividade, solidariedade e respeito mútuo;
 Promoção da ampliação do universo informacional, artístico e cultural das pessoas com deficiência visual, bem como o estimulo ao desenvolvimento de potencialidades, habilidades, talentos, propiciando sua formação cidadã;
 Estímulo à participação na vida pública do Distrito Federal e desenvolvimento de competências para a compreensão crítica da realidade social e do mundo contemporâneo, através da participação em Conselhos de Estado, Conferências, Audiências Públicas e reuniões internas da ABDV;
 Contribuição na inserção, reinserção e permanência de jovens e adultos com deficiência visual no sistema educacional, através do Banco de Ledores Voluntários, da Sala de Apoio ao Estudante e da prestação de serviços de acessibilidade;
 Aproximação e parcerias com as Universidades, com o intuito de ampliar a participação de voluntários nos projetos da ABDV, bem como de apoiar alunos destas instituições;
 Diálogo e encaminhamentos para ampliação do espaço "Sede da ABDV" com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social do DF, através de um novo Convênio com a mesma – Fase final das negociações;
 Consolidação, através de parcerias, da Sala de Apoio ao Estudante (sala de estudo com equipamentos de informática e ponto de internet), para os estudantes de 1º, 2° e 3° Grau, das Escolas Inclusivas, e da Educação de Jovens e Adultos; garantindo um espaço para pesquisa e complementação escolar, na Sede da ABDV (serviço suspenso, à partir do último trimestre de 2014 até os dias atuais, com a interdição do refeitório);
 Estimulo ao aprimoramento de músicos e a formação de Bandas Musicais, através da realização de encontros e eventos, e da participação nos eventos culturais de Brasília (desta iniciativa, nasceu o Grupo de Pagode “NóCego”);
 Estímulo à prática de esporte como forma de promoção social das pessoas com deficiência visual, através de parcerias com CETEFE – Centro de Treinamento de Educação Física Especial do DF e UNIACE/DF – União dos Atletas Cegos do DF;
 Promoção de assistência Social, com a distribuição de cestas-básicas e outros bens doados à ABDV;
 Formação profissional e inserção no mundo do trabalho, com os cursos de massagem expressa e massoterapia do Projeto Cultura Solidária, do Programa Educativo Brasília Tátil;
 Complementação de renda para os associados, através da prestação de serviços de acessibilidade e da produção de bens e serviços, gerados pelos próprios associados.

3 - RECURSOS
3.1 - Financeiros:
 Doações esporádicas e contribuições de voluntários;
 Recursos provenientes da prestação de serviços em impressão Braille, gravação de Áudio Livro e de assessoramento em acessibilidade (cerca de 75% da receita da Entidade).
 Recursos oriundos de projetos em parcerias com outras Instituições (doações do Sindilegis, e patrocínio do Instituto Cooperforte ao Projeto Cultura Solidária).

3.2 - Materiais:
o As instalações físicas da ABDV apresentam condições básicas de uso, apesar do espaço muito limitado, dividindo-se em quatro salas e dois banheiros.
o Boa parte das atividades são realizadas em uma cobertura externa com cerca de 120 metros quadrados, que por motivo de segurança dos associados/asé utilizada no fim de semana, quando o Centro de Atendimento dos Moradores em Situação de Rua, não está funcionando. A referida Estrutura foi construída pela Entidade, mas está ocupada pelo Centro POP desde sua inauguração, apesar de não ter havido nenhuma solicitação ou comunicação à Entidade;
o A cozinha originalmente está localizada na área externa do prédio, porém devido à uma rachadura na parede, a mesma está provisoriamente ocupando, o espaço do laboratório de informática, que se encontra desativado, conseqüentemente.
o A ABDV possui 06 máquinas Perkins (datilografia Braille) para empréstimo aos deficientes visuais.
o Possui uma Kombi que é utilizada como apoio no transporte dos deficientes visuais, principalmente para os que ainda não tem autonomia em sua mobilidade;
o Também faz parte do patrimônio da ABDV 02 impressoras Braille.
o No ano de 2013, a ABDV recebeu uma grande doação de Instrumentos Musicais, principalmente de percussão, da escola Estela Maris de Taguatinga. Parte destes instrumentos foi utilizada nas aulas de música do Projeto Cultura Solidária, e após seu término foram doados para o Projeto Valdir Azevedo, um projeto social do músico Dudu Oliveira que ensina música e promove a complementação escolar de crianças da Vila Telebrasília.

RELAÇÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS

MATERIAL PERMANENTE – EQUIPAMENTOS
DESCRIÇÃO UNIDADE QUANTIDADE PREÇO UNITÁRIO (APROXIMADO) TIPO
Veículo Kombi (ano 2000) un 01 R$ 10.000,00 Patrimônio da ABDV
Impressora Braille un 2 R$ 28.000,00 Patrimônio da ABDV
Impressora e multifuncional para a produção de material didático e do Informe ABDV un 02 R$1.200,00 Patrimônio da ABDV
Computador com placa de gravação para produção de textos em áudio un 01 R$ 1.900,00 Patrimônio da ABDV
Máquinas Perkins un 06 R$ 1.950,00 Patrimônio da ABDV
Bancada para reciclagem de garrafas pet un 02 R$ 2.800,00 Patrimônio da ABDV
Jogo de Mesa Quadrada
Bistrô c/ 4 cadeiras para o
refeitório un 10 jogos R$1.200,00 Patrimônio da ABDV
Forno para queima de
cerâmica un 01 R$ 10.000,00 Patrimônio da ABDV
Fogão industrial un 01 R$ 800,00 Patrimônio da ABDV
Geladeira un 02 R$ 400,00 Patrimônio da ABDV
Freezer un 02 R$ 600,00 Patrimônio da ABDV
Cadeira de Massagem Expressa un 05 R$ 3.000,00 Patrimônio da ABDV
Macas para Massoterapia un 05 R$ 3.000,00 Patrimônio da ABDV

3.3 - Humanos:
3.3.1 – Diretoria:
 7 diretores
3.3.2 – Funcionários Contratados:  01 Secretária Executiva;
3.3.3 – Voluntários
 04 voluntários, em atividades variadas;
 12 voluntários, no apoio aos estudantes com deficiência visual (ledores voluntários).

RESUMO DAS ATIVIDADES EM 2016
Data Local Evento
05/01/2016 ABDV Entrevista a TV Senado – Lei Brasileira de Inclusão.

07/01/2016 Rádio Cultura Apresentação do Programa : Diversidade – Falando sobre a LBI, Louis Braille, Acessibilidade, Esculturas e sobre a ABDV.
08/01/2016 ABDV Reunião para traçar estratégias de marketing para à Associação com a Empresa Conectando Pessoas.
18/01/2016 DF-Trans Acessibilidade no DF e negociação de débitos da Entidade.
22/01/2016 Secretaria do Estado do GDF Consulta Pública sobre Acessibilidade. Construir a Instrução Normativa que estabelece critérios e parâmetros técnicos de acessibilidade a serem observados quando da apresentação de proposta cultural no âmbito da Lei de Incentivo a Cultura.
25/01/2016 CETEF Formação do Time de Goalbal para 2016.
28/01/2016 Secretaria do trabalho, desenvolvimento social, mulher,
desigualdade racial e direitos humanos. Reunião sobre limite de renda para o passe livre para
transportes públicos no DF.
28/01/2016 ABDV Reunião diretoria. assuntos diversos.
01/02/2016 Escritório de Advocacia negociação dívida secretaria de esporte.
04/02/2016 ABDV Reunião diretoria. assuntos diversos.
02/02/2016 Conselho de Saúde Reunião extraordinária.

04/02/2016
PRIME Vinho & Cultura. Edf. Brasil 21.
Reunião com Sérgio Pires, sobre Projeto: Curso degustação de
vinhos.
11/02/2016 Restaurante Brasil Vexado – 302 Sul Entrevista Tv Justiça, sobre cardápios em Braille.
12/02/2016 Universidade de Brasília Participação na pesquisa de mestrado com Maira Correa.
acessibilidade em automação residencial.
15/02/2016 CEEDV Reunião eleição para novo presidente e vice da AADV.
22/02/2016 Museu da República treinamento de vivência da cegueira, para Seminário de acessibilidade
cultural.
25/02/2016 ABDV Reunião com representantes da empresa Tecnovisão. Para
demonstrações de equipamentos eletrônicos acessíveis.
29/02/2016 Senado Federal Reunião sobre Lei Brasileira de inclusão. proposta pelo
Senador Paulo Pain.
02/03/2016 Museu da República Seminário sobre acessibilidade cultural, com vivência da
cegueira e espaço para fala para ABDV.
25/05/2016 ABDV Reunião da Equipe do Projeto Brasília Tátil
08/06/2016 ABDV Reunião da Equipe do Projeto Brasília Tátil – Definir local da realização de oficinas
22/06/2016 Escritório Advocacia Reunião com Dr. Diego Cherulli e Diretoria da ABDV, sobre dívida no DFTrans.
27/06/2016 TIM Visita à TIM solicitar transferência de telefone fixo
28/06/2016 CAS/DF Reunião com Denise Braga, assunto Radioterapia
28/07/2016 Logos Contabilidade Reunião com Contador referente prestação de contas de 2015
02/08/2016 Rodoviária Reunião com Javan sobre a desocupação da loja da Rodoviária para reforma.
04/08/2016 Secretaria da Fazenda Quitar parcelas negociadas do ISS
05/08/2016 ABDV Reunião com Contador, finalizar a prestação de contas de 2015
13/08/2016 ABDV Festa de Confraternização com Associados do Dia dos Pais
24/08/2016 ABDV Reunião com a Sra. Thais Lima da FNP, referente parceria com serviços de massagem
26/08/2016 ABDV Entrevista dos alunos do UNICEUB com Presidente da ABDV
26/08/2016 ABDV Entrevista dos alunos do Colégio Erios com Presidente da ABDV

05/09/2016
Estação 114 Sul
Reunião das Entidades para organizar a manifestação do dia 21/09
08/09/2016 Estação 112 Sul Gerência da Pessoa com Deficiência, tratar de assuntos referente a Sede da ABDV
08/09/2016 Estação 114 Sul Reunião com entidades participantes da passeata do dia 21/09 (faixas e cartazes)
14/09/2016 Estação 112 Sul Reunião com Carlinhos do CODDEDE, sede da ABDV
21/09/2016 Esplanada dos Ministérios Passeata do Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência – Museu da República.
29/09/2016 Estação 114 Sul Inauguração das obras de Acessibilidade na estação do metrô
29/09/2016 Centro de Aperfeiçoamento de Profissionais de Educação - EAPE Palestra na escola Prof. Telma cão guia e acessibilidade – Flávio Luis
29/09/2016 Centro de Aperfeiçoamento de Profissionais de Educação - EAPE Palestra na escola Prof. Telma cão guia e acessibilidade – Justino Bastos
25/09/2016 EC 512 Samambaia Sul Palestra sobre cão guia, semana de luta por uma sociedade inclusiva
25/10/2016 SICOOB Reunião com Presidente do SICOOB referente parceria com serviços de massagem
03/11/2016 Administração de Brasília Entrada na documentação do Box 168 da Torre de TV
07/11/2016 ABDV Reunião/apresentação demonstrativa do Projeto Cardápio Digital em bares e restaurantes
19/11/2016 Chácara Cammembol Visita à Chácara Cammembol no Incra 07 – Brazlândia, para festa de confraternização da ABDV
23/11/2016 ABDV Reunião do Projeto Brasília tátil 2016, para tratar da logística para fixação de painéis nas escolas participantes
24/11/2016 ABDV Reunião com Auditores da Secretaria de Fazenda, referente impressão de DAR em braille
06/12/2016 Câmara dos Deputados Sessão Solene “Dia Nacional do Cego” e Dia Internacional da luta da pessoa com deficiência com Deputado Robério Negreiros
07/12/2016 Câmara dos Deputados/Plenário 13 Audiência Pública/Defesa dos direitos das pessoas com deficiência. Discutir nota de protesto e requerimento de providências entregue na marcha das pessoas com deficiência
12/12/2016 Gabinete do Governador Reunião com representantes das modalidades paralímpicas do DF
14/12/2016 DFTrans Reunião no DFTrans, para tratar de assuntos referente a Loja da Rodoviária

16/12/2016
Administração da Rodoviária
Reunião com Coronel Wendel, referente dívida da Loja da Rodoviária

17/12/2016
Chácara Cammembol
Confraternização de final de ano da ABDV e Associados
21/12/2016 ABDV Reunião sobre Cardápio Digital

Além das atividades relatadas no quadro supracitado, a ABDV participou de várias reuniões, através da representação de seus membros, em Fóruns e Conselhos Deliberativos, entre eles o FAPED – Fórum Permanente de Apoio e Defesa das Pessoas com Deficiência do DF e Entorno e Conselho Distrital de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos do DF.
Ressalta-se por fim, que foram realizadas a manutenção da inscrição no CAS/DF, a manutenção da Prestação de Contas no MP, a manutenção das Certidões Negativas da Entidade, e principalmente, como fatos importantes por estarem relacionados ao cumprimento de nossos objetivos.

Brasília, 17de fevereiro de 2017.

Flávio Luis da Silva
Presidente